As vezes esquecer o passado é necessário e Retalhos nos mostra o porquê disso



Escrever sobre a obra Retalhos de Craig Thompson e falar de como ela é incrível seria chover no molhado. Eu gostaria de escrever sobre a obra, mostrando o quanto ela é pesada.
Veja, pesada não quer dizer que a história seja ruim ou “conteúdo adulto” ou não-divertida. Pesada aqui é simplesmente o termo para “uma história que fala de coisas mais sentimentais, tocantes”, no caso, os assuntos que o autor aborda contando a história de sua vida.

Craig nasce nos seios de uma família protestante, muito religiosa e cresce numa pequena cidade de Wisconsin. Quem está por dentro da geografia dos EUA, sabe que Wisconsin é um estado no meio-oeste, lá pra cima, próximo aos grandes lagos. É a terra do queijo nos EUA.

Por ser uma cidade pequena, Craig vive em meio a uma sociedade mais tradicional, onde a religião é o que dita as normas de convivência, tanto que o personagem estuda em um colégio cristão, vai para um acampamento cristão, e ainda tem aulas sobre cristianismo.
Ir à Igreja é um dever e sim, o pastor também quer decidir por Craig o que ele deve fazer na vida adulta (no caso seguir o sacerdócio em detrimento de sua vocação para as artes).

Pode-se descrever que seu pai é uma pessoa severa, de pouca tolerância e sua mãe na história é praticamente nula. Embora ela não seja tão severa, sempre concorda com seu marido.
Já deu para entender como é a sociedade em que ele está inserido, não?

Craig é um dos poucos que almejam algo a mais para sua vida, e este “algo” a mais é ser alguém além de um trabalhador do campo diferentemente de todos seus colegas na escola a qual frequenta.
Por ser uma pessoa “diferente” dos demais, é frequentemente alvo de Bullying.

Um momento muito marcante na história é o do abuso sexual em que ele e seu irmão passam quando crianças. Isto cria algumas barreiras para Craig na hora de se relacionar com as pessoas, de demonstrar mais afeto, ele possui uma culpa dentro de si.

Sentimento de culpa


Há um constante sentimento de culpa no personagem. Ele sequer consegue gostar de Raina, sua futura namorada, sem que se desculpe com Deus por isso. Toda vez que algum tipo de pensamento mais afetivo aparece em Craig, logo o autor faz uma prece ou tenta se desvencilhar deste tipo de pensamento. Por toda a história sua cabeça é direcionada a aceitar o mundo que ele está inserido, mesmo com a constante luta para ser mais que o que o destino lhe reservou.

Bola pra frente


A luta contra o seu destino quase certo de “homem do interior” é a motivação do personagem para achar o seu lugar no mundo. Muitos momentos Craig joga fora o seu passado para continuar caminhando e se tornar alguém maduro: seus desenhos antigos, as coisas que Raina lhe deu, a mudança para a cidade grande.

O que há de tão especial nesta história?


Retalhos é uma Graphic Novel autobiográfica. É uma história particular, com momentos particulares (é a vida do autor). Mas muito além disso é uma história que nos mostra que nascemos livres para trilhar nossos caminhos e fazer nossa história, mesmo que para isso precisemos renegar o passado.
O destino não nos reserva nada, nós somos donos dos nossos destinos. Nossa vontade de mudança e superação é que abrem caminho para nós, porque como Craig, nós somos os heróis de nossa própria história.

Só lembrando que esta e muitas outras Graphic Novels você encontra na Zort Comix.

Até mais!


Comentários